PUBLICIDADE

Propaganda-02.png

Rainha consorte, duque e conde: o significado dos principais títulos da família real britânica

Saiba mais sobre o significado por trás de honrarias que marcam a vida de pessoas ao redor de Elizabeth II.


Por Redação - Mantaro | 13/03/2021 • 07h02

Elizabeth II com o marido e os filhos - Foto: Reprodução/Wikimedia Commons


Dentro da monarquia britânica, os membros da família real são divididos em títulos, que vão desde rei e rainha, até viscondes, lordes e barões. Todos são organizados através de uma hierarquia, onde cada um possui a sua função dentro da corte e são responsáveis por representar a coroa em eventos oficiais.


Pensando nisso, entenda a função por trás dos principais títulos da família real britânica.


1. Rei/Rainha

São os Chefes de Estado da monarquia. Como o Reino Unido utiliza o sistema de monarquia constitucional parlamentarista, eles não possuem poderes de governo e são uma espécie de “símbolo da unidade nacional", conforme afirma o próprio site da monarquia britânica.


Reis e rainhas assumem o trono seguindo a regra de hereditariedade, onde sempre o primogênito do monarca anterior deverá assumir a coroa. No entanto, durante o passado, os homens costumavam ganhar preferência na linha de sucessão, independente da ordem no qual nasceu.


Porém, após uma lei sancionada em 2011, essa regra foi quebrada e, a partir de agora, o primeiro filho deverá subir ao trono, sem levar o gênero em consideração.


2. Rainha Consorte

Consorte é o cônjuge de um monarca. Contudo, na monarquia britânica, não é aceito o termo “Rei Consorte”. Segundo a lei, apenas os homens podem dar o título de consorte para suas esposas. Essa teria sido uma forma de proteger a linhagem real, evitando que ela passe para a família do esposo.


É exatamente por este motivo que o Príncipe Philip não se tornou rei quando a rainha Elizabeth II assumiu o trono, mas Camilla Parker-Bowles, a Duquesa de Cornualha, será eleita Rainha Consorte assim que seu marido, o príncipe Charles, herdar a coroa. Contudo, diante do conturbado histórico que envolve a relação da dupla, Camilla não teria interesse em assumir o título.



3. Príncipe/Princesa de Gales

Príncipe de Gales é o título dado para reconhecer os herdeiros homens do trono britânico, sendo oferecido sempre pelo monarca ao seu filho mais velho. Suas esposas, automaticamente, acabam sendo reconhecidas como Princesas de Gales devido ao casamento.


Atualmente, Charles e Camilla são o Príncipe e Princesa de Gales do Reino Unido. No entanto, a também Duquesa de Cornualha acaba não utilizando esse título por causa de Lady Di que, mesmo após a separação, conseguiu permanecer com a honraria e é reconhecida até os dias atuais como a Princesa de Gales.

Charles e Camilla Parker Bowles — Foto: Getty Images


4. Príncipe/Princesa

São considerados príncipes e princesas todos os filhos, netos e o bisneto que for filho mais velho do primogênito do Príncipe de Gales. Cônjuges não possuem o direito de receber esse título.


De acordo com uma carta-patente — uma espécie de carta aberta do rei que também é utilizada para declarações reais ou concessão de títulos — emitida pelo rei George V no ano de 1917, todos os outros bisnetos de um monarca não poderiam ser mais considerados como príncipes ou princesas.


Segundo essa lei, apenas George, filho mais velho do príncipe William, poderia ser considerado príncipe. Porém, em 2012, a rainha Elizabeth II emitiu uma nova carta-patente onde declarava que todos os filhos do Duque de Cambridge poderiam ser príncipes e princesas, além de ter o direito de receber o título de Sua Alteza Real.


5. Duque/Duquesa

De acordo com a tradicional empresa britânica de etiqueta Debrett, Duque é o título mais alto dentro dos cinco escalões da nobreza, que também englobam marquês, conde, visconde e barão.


Para ser considerado um Duque, a pessoa pode herdar o título do pai, ou recebê-lo de algum monarca — como aconteceu com William e Harry que receberam os títulos de Duque de Cambridge e Duque de Sussex da rainha logo após seus casamentos.


No entanto, é importante lembrar que nem todos os príncipes são Duques. O príncipe Edward, por exemplo, filho mais novo de Elizabeth e Philip, assumiu o título de Conde de Wessex após se casar em 1999, por escolha própria e aprovação da mãe. Apesar de ter quebrado a tradição, ele também se tornará o Duque de Edimburgo após o falecimento de seu pai e a ascensão ao trono de seu irmão, o príncipe Charles.


6. Conde/Condessa

No passado, os Condes eram pessoas extremamente próximas aos monarcas, que atuavam como assessores ou conselheiros, e tinham a função de administrar províncias para o rei.


Atualmente, é um título honorífico que pode ser dado pelo soberano a alguém por seus serviços prestados, ou até mesmo herdado pela família.


7. Visconde/Viscondessa

Viscondes são considerados os “substitutos dos condes” em caso de ausência. Eles também tinham o direito de dirigir territórios de pequenas proporções, similares a vilas.


Desde o século 10, esse título também passou a ser dado para filhos de condes. É o caso de James, Visconde de Severn, filho mais novo do Príncipe Edward, o Conde de Wessex.


Por ser neto de um monarca, o garoto poderia ter recebido o título de Príncipe James, no entanto, seus pais acabaram decidindo e pedindo aprovação para Elizabeth II de que ele recebesse apenas títulos como filho de um Conde.

Posts recentes

Ver tudo

REDES SOCIAIS